Anos 90 – 8 duplas de ataque que marcaram o Brasil

8 duplas de ataque que marcaram o Brasil nos anos 90

No papo de hoje, vamos relembrar o bom e velho futebol. Então puxa sua cadeira, abra sua cerveja que vamos relembrar 8 duplas de ataque que marcaram o Brasil nos anos 90. Vem que tem resenha!

PALHINHA E MULLER

Muller e Palhinha – SPFC

Quantos clubes brasileiros já conquistaram o Mundial de Clubes? Certamente, a minoria e, pouquíssimos tiveram a honra de vencê-lo duas vezes. O São Paulo é uma dessas equipes e os títulos conquistados em 1992 e 1993 devem muito ao que Muller e Palinha fizeram nas Libertadores e nas finais do Mundial.

PAULO NUNES E JARDEL

 

Paulo Nunes e Jardel, Grêmio

O que um rapaz loiro e baixinho tem em comum com um jogador alto e desengonçado? A torcida do Grêmio sabe muito bem essa reposta: gols, muitos gols. Pois foi dos pés e das cabeças dessa dupla que o Tricolor Gaúcho conquistou a América em 1995.

DONIZETE E TÚLIO MARAVILHA

 

Donizete e Túlio Maravilha, Botafogo

Em 1995, o Botafogo conquistou seu único Campeonato Brasileiro e Donizete e Túlio foram peças-chaves para esse feito. O fato de o segundo ter sido o artilheiro da competição naquele ano se deve e muito às jogadas do primeiro;
Que dupla.

EDILSON E LUIZÃO

 

BICAMP6 S1 SAO PAULO 07/12/99 ESPORTES OE JT CORINTHIANS – TREINO DO CORINTHIANS HOJE A TARDE NO PARQUE SAO JORGE – NA FOTO OS JOGADORES LUISAO E EDILSON FOTO SERGIO CASTRO/AE

No final dos anos 1990, o Corinthians conseguiu conquistar o seu terceiro título no Brasileirão, além de um Paulista e de um Mundial de Clubes (2000), mas ao que se deve tantos troféus? A vários fatores, dentre os quais a dupla de ataque formada por Edilson e Luizão é um dos principais;

MARQUES E GUILHERME

 

Marques e Guilherme, Galo

A torcida atleticana jamais esquecerá o ano de 1999. Na oportunidade, o time quase levou o segundo Brasileirão para casa, mas o que marca ainda mais esses fanáticos torcedores são as belas atuações de Marques e Guilherme no comando de ataque. Enquanto um era extremamente veloz e dava passes precisos, o segundo era eficiente e um artilheiro nato.

EDMUNDO E EVAIR

Edmundo e Evair, Vasco

No Palmeiras, no início dos anos 1990, eles formaram um trio de ataque com Edilson que conquistou dois Campeonatos Brasileiros (Edilson não ganhou o Brasileirão de 1994) e dois Paulistas que estão marcados para sempre no coração Alviverde. Em 1997, Edmundo e Evair voltaram a se encontrar no Vasco e, com grande temporada do Animal, levaram o tricampeonato para São Januário;

PAULO NUNES E OSÉAS

 

Paulo Nunes e Oseas, Palmeiras

A Libertadores conquistada pelo Palmeiras em 1999 teve muitos heróis, mas certamente Oséas e Paulo Nunes são alguns dos principais. O Diabo Loiro fez parceira com Oséas e, a exemplo do que ocorreu no Grêmio em 1995 com Jardel, obteve muitos frutos.

BEBETO E ROMÁRIO

 

Romário e Bebeto, Copa 94

Não é nem pelo que fizeram em clubes, mas sim o que fizeram pela nossa seleção.
De fato, nas 40 partidas em que o Brasil contou com seus mais representativos craques, a equipe levantou taças, fez gols em abundância e permaneceu invicta. Entretanto, não é dessa dupla que estamos falando. Nos referimos a outra, bem mais recente, que teve papel fundamental na Copa América de 1989 e na Copa do Mundo de 1994.Bebeto e Romário: dois craques de personalidades bem diferentes, a ponto de um ter ficado conhecido, em certo momento da carreira, como ‘chorão’ e, o outro, como ‘marrento’. Nos gramados, porém, o estilo do carioca baixinho e folgado era muito familiar ao do baiano franzino e tímido. E vice-versa. O futebol os tomou como primos. Primos como os números das camisas que envergavam. O 7 e o 11, aliás, abriam uma exceção quando estavam nas costas de Bebeto e Romário, tornando-se, por 90 minutos, plenamente divisíveis. Com tanto talento compartilhado, ficava difícil para os adversários.

E ai meus caros, o que acharam dessas duplas? Será que comeriam banco pra alguém da atualidade? Deixem suas opiniões.

Comentarios