Entrevista com Yuri Fonseca, um dos melhores canais de basquete do Brasil

Gedc0508
Yuri Fonseca é um jovem estudante de Jornalismo que praticou basquete a nível competitivo na sua adolescência, enfrentou todos os processos para se jogar em grandes clubes do Brasil, e hoje dedica seu tempo extra para levar informações e curiosidades na melhor qualidade para seus seguidores.

Ele possui um canal no YouTube que leva o seu nome: YURI FONSECA, e lá produz um conteúdo sábio e de qualidade, tanto que já está quase chegando na casa dos 24 mil inscritos.

Entramos em contato com Yuri, e ele nos concedeu uma entrevista muito maneira! Confira:

1 – Quais são suas origens?

– Eu nasci e cresci em São Paulo, no bairro de Itaquera (Aquele que ficou famoso depois do estádio do Corinthians hahaha). Brincava na rua o dia todo, todo dia e só parava pra comer. Acho que a rapaziada de hoje em dia perdeu um pouco desse lance de ficar na rua, uma pena.

2 – Como é a vida fora do universo do basquete?

– Eu sou estudante de Jornalismo, na Universidade São Judas Tadeu. Curto pacas Cinema, e é meu grande sonho de profissão, quem sabe a gente não chega em Holywood não é mesmo ? Fora isso, namoro a 4 anos e moro com meus pais e eu sou muito, muito viciado em Action Figure e Yu-gi-oh hahaha jogo até hoje!

3 – Quem/ o que te inspira?

– Acho que minha maior inspiração é meu pai. O cara saiu do nordeste com 14 anos e construiu muita coisa e sempre me dando tudo do bom e do melhor, quero deixar minha marca no mundo como ele.

4 – Quem são seus ídolos? No basquete e na vida?

– Meu maior ídolo no basquete é o Carmelo Anthony, acho que todo mundo sabe ! rsrsrs. Na vida eu gosto muito do trabalho do Arnold Schwarzenegger, admiro como ele mudou a sua trajetória depois de muito trabalho duro, ele (Arnold) é o cara que mais admiro.

 

5 – De onde veio o amor pelo jogo?

– Um dia eu perguntei ao meu pai quem era Michael Jordan, e eu vi um mix dele no youtube com a música “Remember the Name” do Fort Minor, ai foi um estalo na minha vida e eu só pensava em jogar e jogar e jorgar. Foi amor a primeira vista e precisa aprender qualquer coisa sobre basquete, o amor foi só crescendo, até hoje.

6 – Qual é o seu time na NBA? E por quê.

– Meu time é o New York Knicks. É a cidade que mais me encanta, que eu desejo muito conhecer e porque não, morar. Acompanho qualquer time que seja de NY, mesmo que seja de peteca. E ainda culminou com o Stephon Marbury jogar lá quando eu comecei a acompanhar basquete.

7 – Quanto tempo por dia você dedica ao basquete?

– Meu dia é praticamente todo dedicado ao basquete. No momento estou sem trabalhar na área de jornalismo e o canal é a minha principal fonte de renda, então eu dedico quase que todo meu dia pesquisando e estudando sobre basquete.

8 – De onde surgiu a ideia de criar o canal? E como foi no começo, e qual método utilizou para conquistar seu público?

– Eu sempre tive muita vontade de ter um canal no youtube. Falar sobre basquete foi algo natural pra mim, já que fez parte quase que por toda a minha vida. Eu sinceramente no começo nunca pensei em ajudar o basquete a crescer, comecei pela fama mesmo rsrsrs. Estaria sendo hipócrita se falasse o contrário. Depois de um tempo eu vi que o Youtube tem um alcance enorme e eu posso de verdade ajudar no crescimento do esporte no brasil. Eu não faço ideia como conquistei meu público, fui fazendo vídeos a galera gostando e tamo ai hoje!

9 – Quais são seus planos para o canal/ e para a vida?

– Meu grande sonho é ter um milhão de inscritos, mas acho que essa é uma marca pessoal. Como eu disse meu maior sonho hoje é ver o basquete crescer no cenário nacional e ser dado o valor que merece. Pra vida eu quero trabalhar um tempo com o jornalismo esportivo e depois me dedicar ao cinema.

10 – Você se arrepende de algo?

– Meu maior arrependimento é ter saído brigado com meu treinador Caio Bueris do Mogi das Cruzes. Hoje eu sou muito mais maduro e vi que fiz uma grande cagada, se tivesse chance eu pediria desculpas pra ele e para meus colegas de time. É complicado como a gente quer uma maturidade de garotos da base, isso é complicado. E se me permite, gostaria de pedir desculpas se algum já magoei algum companheiro de Youtube, eu amadureci muito nesse último ano e refleti sobre essas questões.

11- Tem alguma pergunta que não foi feita que você gostaria de responder? Fique a vontade.

– Já que você abriu o espaço. Fica meu pedido de desculpas para os companheiros de basquete no YouTube. Posso ter falado muita besteira e deixado alguém chateado, fica aqui minhas desculpas e como eu disse; esse ano que aprendi muito e cresci como homem. Refleti sobre meus erros. Um muito obrigado pela oportunidade da entrevista e é nois que tá família !

Seu canal no Youtube você confere clicando nas imagens abaixo:

Maxresdefault (1)

Maxresdefault

Comentarios